24 JUN 2017 Vida [e jejum] que segue Leandro Lopes

Internacional aproveitou o primeiro tempo ruim do Xavante para vencer (Foto: Ricardo Duarte/SCI)

Ainda não foi dessa vez que o Brasil deu fim ao jejum de vitórias sobre o Internacional. Jogando em um Bento Freitas lotado, o Xavante teve um primeiro tempo muito abaixo dos últimos jogos e – sem sete titulares – viu o time de Porto Alegre aproveitar os espaços para fazer o único gol do jogo. O resultado deixou os rubro-negros na 9ª posição, com 14 pontos. Na próxima rodada, dia 1º, o adversário é o América, em Minas Gerais. No sábado o Coelho aplicou 3 a 0 no Luverdense fora de casa.

O JOGO
A ausência dos jogadores que vinham atuando na equipe principal foi o primeiro passo para a derrota rubro-negra. Além de Evaldo, suspenso, Leandro Camilo, Marlon e João Afonso foram vetados por questões médicas. Bruno Lopes ficou no banco de reservas e Eduardo Martini e Wagner não foram nem relacionados, deixando o plantel bastante descaracterizado.

Com a bola rolando, a primeira finalização foi logo aos 20 segundos. Charles cabeceou e Marcelo Pitol, atento, fez a defesa. Quem esperava um Internacional passivo, se enganou. Mas quem esperava que o Xavante ia se apavorar com o primeiro ataque, também errou na impressão.

Aos poucos o time do técnico Rogério Zimmermann equilibrou o jogo e começou a projetar ações ofensivas. Em uma delas, o rápido Marcinho aproveitou a bobeade de Uendel, roubou a bola e invadiu a área. O chute saiu prensado e acabou não levando perigo ao gol de Danilo Fernandes.

Na jogada seguinte, o próprio Uendel fez um grande lançamento para Eduardo Sasha. O atacante saiu na cara de Pitol e tocou por baixo, à direita da meta. Com mais volume de jogo, o time de Porto Alegre passou a rondar mais a área rubro-negra. Charles, após chute desviado, obrigou Pitol a fazer mais uma boa intervenção.

Wender e D’Alessandro se estranharam na meia cancha e o clima esquentou um pouco no Bento Freitas. Mais ainda no lance seguinte, quando Sasha ganhou a dividida e chutou em cima do goleiro. A primeira finalização perigosa do Brasil foi somente depois dos 30. Itaqui cobrou falta direto pro gol e Danilo segurou firme.

Aos 38, Brenner ganhou de Cirilo na velocidade e foi à linha de fundo. De lá, encontrou D’Alessandro na entrada da área. O argentino deu um passe “no triângulo” para Fabinho, que bateu cruzado e venceu Pitol: Inter 1 a 0.

Foi a última boa oportunidade criada no primeiro tempo, que teve vaias ao seu final.

Fabinho, aos 38 do primeiro tempo, marcou o gol da vitória colorada em Pelotas (Foto: Ricardo Duarte/SCI)

Na segunda etapa as equipes voltaram com a mesma formação. E a história também foi a mesma. Antes do primeiro minuto, o Inter chegou forte. Edenílson cruzou, Sasha cabeceou e a zaga tirou quase em cima da linha.

Com a marcação mais forte de ambas as partes, os times tiveram mais dificuldade na criação das jogadas. Em lance isolado, Brenner recebeu dentro da área, cortou Leandro Leite e mandou pra fora. Zimmermann não demorou para colocar Juninho no lugar de Nem e o Brasil passou a explorar mais a velocidade. Em seu primeiro lance, o atacante passou voando pela marcação, chegou à linha de fundo e cruzou. Danilo Fernandes salvou.

O Inter passou a administrar o resultado de forma perigosa. Buscando apenas o contra-ataque, os colorados deram mais espaço ao Xavante, que começou a gostar do jogo. Lincom, após cobrança de escanteio, deu um testaço na bola e mandou pra fora, levantando a torcida. Na sequência, Itaqui cobrou falta da intermediária e quase encobriu Danilo, que mandou pela linha de fundo.

E o goleiro visitante não teve folga! Aos 34, Aloísio, que entrou no lugar de Rafinha, exigiu mais uma boa defesa em conclusão de fora da área. Pitol também trabalhou bem, evitando o gol de Cirino, aos 38.

Nos minutos finais, o Inter perdeu três boas chances de ampliar a vantagem. Diego desperdiçou duas. Sem tempo para mais nada, o jogo terminou mesmo com vitória colorada: 1 a 0.

Com a vitória, o Colorado entrou no G-4. Na sequência, os comandados de Guto Ferreira têm dois jogos em casa: enfrentam Boa Esporte e Criciúma no Beira-Rio.

DESPEDIDA
O atacante Bruno Lopes não entrou em campo contra o Internacional e pode nem atuar mais com a camisa rubro-negra. O clube português ao qual o jogador pertence, Arouca, não demonstrou interesse em renovar o contrato de empréstimo.

Bruno tem contrato até o dia 30 de junho. A próxima partida é no dia seguinte. O atleta deve mesmo deixar o Bento Freitas.

Ficha técnica

Brasil – Marcelo Pitol; Wender, Cirilo, Teco e Breno; Leandro Leite (Gustavo Papa), Marcinho, Itaqui e Rafinha (Aloísio); Lincom e Nem (Juninho). Técnico: Rogério Zimmermann

Internacional – Danilo Fernandes; Edenílson, Danilo Silva, Klaus e Uendel; Fabinho, Dourado, Charles (Diego) e D’Alessandro; Brenner (Marcelo Cirino) e Sasha (Junio). Técnico: Guto Ferreira

Gol – Fabinho (I)

Local – Estádio Bento Freitas, em Pelotas

Gostou? Então compartilha, tchê!
Deixa teu comentário