22 MAR 2017 Colorado conquista o Bi da Recopa Gaúcha Juliano Ortiz

Um jogo esperado pelas torcidas canarinho e colorada, como se fosse um trampolim para uma retomada no Gauchão 2017 e um salto na tabela, distanciado-se o máximo possível da zona do rebaixamento.  As duas equipes precisavam da vitória; o Ypiranga para deixar a zona do descenso, e o Internacional para tentar firmar-se entre os que irão à próxima fase da competição. Mais do que o resultado pelo estadual, estava em jogo também a taça da Recopa Gaúcha. Para o Ypiranga, algo inédito. Para o Internacional, a quarta decisão em quatro anos e a busca pelo bicampeonato.

CONFIRA OS RESULTADOS E A CLASSIFICAÇÃO DO GAUCHÃO 2017

Ypiranga e Internacional fazer um jogo duro (de ver) e ficam no empate (Foto: Ricardo Duarte)

O JOGO

Desde 2009 sem receber o Internacional em Erechim, o Ypiranga queria dar as boas-vindas oferecendo ao time visitante, uma singela derrota. Com a estratégia de esperar o adversário vir pra cima e, em resposta, contra-atacar , o técnico Guilherme Macuglia escalou o Canarinho em um protocolar 4-5-1. Pelo lado do Inter, o técnico Antônio Carlos Zago tinha a seu dispor, um novo zagueiro. Victor Cuesta, argentino, é zagueiro de ofício mas estreou na lateral esquerda. Zago tentou utilizar o novo defensor em uma linha de três zagueiros, com Léo Ortiz e Paulão, deixando William e Uendel liberados para subirem e apoiarem o ataque.

Apesar de tomar a iniciativa desde o começo do jogo e levar perigo à zaga colorada, o Ypiranga não conseguia converter as chances em gol. Viu ainda o volante Anselmo apresentar uma arrancada inesperada, interrompida com falta. O Internacional demorou a “entrar no jogo” e chegou a arriscar a gol em alguma vezes, a exemplo de Nico López, mas não conseguiu abrir o placar. Passada quase metade do primeiro tempo, o Ypiranga já mostrava maior volume de jogo e Talles começava a dar trabalho à zaga colorada. A resposta veio aos 33 minutos, quando Brenner recebeu a bola dentro da área, foi tocado e caiu pedindo pênalti. O árbitro Anderson Daronco nada apitou e mandou o jogo seguir. Até que, aos 40, Talles aproveitou um erro de posicionamento de Léo Ortiz que, na dúvida entre dar o bote e acompanhar o jogador do time de Erechim, ficou apenas olhando e obrigou Danilo Fernandes a sair das traves. Esperto, o camisa 10 canarinho deu um leve toque e desviou para o gol. Com isso, o time da casa foi para o intervalo com vantagem no placar.

SEGUNDO TEMPO

Na volta do vestiário, o técnico colorado veio com duas substituições: sacou Paulão, para colocar Roberson; e Valdívia entrou no lugar de Nico López. As alterações surtiram efeito e o Inter passou a jogar melhor. Aos 11 minutos, Uendel cruzou a bola e Roberson teve a chance de cabecear com o gol livre, ainda que sob marcação, e fez algo difícil de ser descrito em palavras (meio que cabeceou amortecendo a bola pra cima e azedou toda a jogada). Na sobra, Brenner chutou na defesa e quando teve a bola novamente, emendou uma bicicleta, mas acabou por cometer falta de ataque ao atingir um jogador do Ypiranga. Até que, de tanto tentar, Brenner marcou um gol, completando quase que sobre a linha, mas o gol foi anulado sob alegação de impedimento. O lance havia sido normal, já que um jogador do time da casa dava plenas condições à jogada, por estar na mesma linha que o atacante colorado.

Pouco depois dos 30, Roberson até arriscou outro chute a gol, mas foi Brenner quem balançou a rede quatro minutos depois. Andrigo fez boa jogada pela direita, entrou na área e cruzou. No caminho, o jogador que marcava Andrigo colocou o braço na direção da bola, o bandeirinha avisou o árbitro e o pênalti foi assinalado. E, na 38ª partida entre Ypiranga e Internacional, Brenner mostrou porque tem estrela e é o artilheiro colorado no Gauchão 2017, com quatro gols. O camisa 38 cobrou a penalidade com a tranquilidade de sempre, deslocou Carlão e deixou tudo igual: 1 a 1.

SAI GAUCHÃO, ENTRA RECOPA GAÚCHA

Com a igualdade no tempo normal, os times somaram um ponto cada no estadual e ficaram nas mesmas posições de quando entraram em campo: Internacional (7º) e Ypiranga (11º). Mas, o 1 a 1 levou a decisão da Recopa Gaúcha para os pênaltis. O Internacional, Campeão Gaúcho 2016, disputou a taça com um Ypiranga que foi vice-campeão da Supercopa Gaúcha 2016, perdendo na decisão para o Inter B. Por isso, como vice-campeão, o Canarinho alçou a chance de disputar o inédito título da Recopa Gaúcha.

Nas cobranças, o diferencial esteve nos goleiros. Carlão, que chegou a marcar o seu em um bomba, no meio do gol, não conseguiu evitar nenhuma das cobranças coloradas. Já Danilo, confirmou a fama de pegador de pênaltis e impediu, por duas vezes, que o time da casa ficasse em vantagem. No final, o Internacional venceu o Ypiranga por 4 a 3 e sagrou-se Bicampeão da Recopa Gaúcha. Agora, os dois times voltam suas atenções novamente para o Gauchão. No final de semana, o Internacional enfrenta o São José em Novo Hamburgo, por conta do Passo D’Areia estar fechado para torcidas por motivo de segurança. E o Ypiranga vai à Gravataí enfrentar o Cruzeiro, precisando mais do que nunca da vitória, para tentar sair da incômoda zona de rebaixamento.

FICHA TÉCNICA

Ypiranga: Carlão; Márcio, Negretti, Wagner e Gabriel Araújo (Néverton); Tairone, Jackson, Éderson, Talles Cunha e Kaio (Evair); Maycon (Michel). Técnico: Guilherme Macuglia. Técnico: Guilherme Macuglia

Internacional: Danilo Fernandes; William, Léo Ortiz, Paulão (Roberson) e Víctor Cuesta; Anselmo, Rodrigo Dourado (Andrigo), D’Alessandro e Uendel; Nico López (Valdívia) e Brenner. Técnico: Antônio Carlos Zago

Gols: Talles (Y) e Brenner (I)

Local: Colosso da Lagoa, em Erechim

Gostou? Então compartilha, tchê!
Deixa teu comentário