04 FEV 2016 Na despedida de D’Ale, Inter fatura a Recopa Leandro Lopes
Depois de dois vice-campeonatos, Inter faturou a Recopa (Foto: Divulgação/SCI)

Depois de dois vice-campeonatos, Inter faturou a Recopa (Foto: Divulgação/SCI)

São José e Internacional duelaram pela segunda rodada do Gauchão. O jogo foi a estreia do Inter, valia a taça da Recopa, a liderança para o Zequinha e marcava a despedida do ídolo colorado D’Alessandro. É muita informação, mas tudo faz parte do jogo disputado na noite desta quarta-feira (3) no Passo D’Areia, em Porto Alegre. E …

O jogo começou movimentado, lá e cá. Jô tentou para o time da casa e Réver, se esticando todo, tentou para o Inter. Na sequência o meia do São José, Diego Torres, arriscou do meio da rua um pataço encobrindo Álisson, mas a bola caprichosamente saiu por cima. Na resposta colorada, Anderson tentou de primeira após a zaga adversária afastar mal o cruzamento, mas também mandou muito alto.

O tempo passou e o colorado tomou a dianteira nas ações ofensivas, mas sem conseguir abrir o placar. Mais acuado, o São José não abdicou de ir à frente, mas foi contido pelo ímpeto do time de Argel Fucks.

Na etapa complementar, o São José teve a primeira grande chance com Heliardo. A bola se apresentou para o atacante, que mandou na bochecha da rede, mas pelo lado de fora. Depois disso só deu Inter. Uma sequência quase fulminante atordoou a zaga do Zequinha.

D’Ale tentou de fora da área e acertou o travessão de Fábio. Somente aos 27 minutos o Zequinha arriscou mais uma vez. Foi com Jô, de fora da área, para defesa tranquila de Álisson.

Muito disputada, partida foi para os pênaltis no Passo D'Areia (Foto: Divulgação/SCI)

Muito disputada, partida foi para os pênaltis no Passo D’Areia (Foto: Divulgação/SCI)

A chuvarada que mais uma vez atingiu Porto Alegre esfriou um pouco a partida. Bruno Baio perdeu grande chance de abrir o placar para o colorado. Paulão, o zagueiro que ataca melhor do que defende, tentou duas vezes. Na primeira obrigou Fábio a fazer grande defesa. Na segunda, já nos acréscimos, desviou cruzamento e por pouco não marcou. Antes disso, aos 36 minutos, D’Ale deixou o gramado ovacionado para a entrada de Alex.

Aos 49, quando Márcio Coruja ergueu os braços, ninguém havia marcado. Cada time levou um ponto, mas a decisão do título foi para os pênaltis.

NA MARCA DA CAL
As duas primeiras cobranças passaram em branco. Fábio defendeu o chute de Alex e Heliardo isolou no travessão. Vitinho colocou o Inter em vantagem e Álisson pegou a bola de Diego Torres. Na sequência, o goleiro colorado cobrou um tiro de meta em direção a Gravataí e mandou a bola pra torcida, perdendo a chance de fazer 2 a 0. Éverton empatou: 1 a 1.

Paulão e David não desperdiçaram na quarta penalidade. Ficou tudo para a última cobrança da série. Marquinhos chutou por baixo de Fábio e fez 3 a 2. Álisson espalmou o chute de Fábio e garantiu a festa colorada no Passo D’Areia.

Capitão do Inter deixou o campo ovacionado na segunda etapa (Foto: Divulgação)

Capitão do Inter deixou o campo ovacionado na segunda etapa (Foto: Divulgação)

A despedida de D’Alessandro teve gramado sintético encharcado, iluminação meia-boca, uniforme com fita crepe, mas a repetição do gesto que o capitão tanto se acostumou a fazer vestindo a camisa colorada: taça levantada e emoção junto à torcida do Internacional.

No sábado de Carnaval os colorados enfrentam o Ypiranga, no Beira-Rio, em jogo atrasado da primeira rodada. No dia seguinte o São José volta a campo no Passo D’Areia para mais um clássico Zé-Cruz, contra o Cruzeiro.

FICHA TÉCNICA

São José – Fábio; Bindé, Cláudinho, Everton e Deivid; Alberto (Cleílton), Fred, Diego Torres e Rafinha (Clayton); Jô e Heliardo. Técnico: China

Internacional – Alisson; William, Réver, Paulão e Artur; Rodrigo Dourado, Fernando Bob, Anderson (Marquinhos) e D’Alessandro (Alex); Vitinho e Eduardo Sasha. Técnico: Argel Fucks

Gols

Arbitragem – Márcio Coruja, auxiliado por Leirson Martins e Antonio João do Prado

Gostou? Então compartilha, tchê!
Deixa teu comentário