01 MAIO 2014 Foi-se a penúltima rodada! Leandro Lopes
Empate entre tricolores e alvinegros em Santa Cruz não foi bom pra nenhum dos dois. (Foto: Rodrigo Figueiró / CAC)

Empate entre tricolores e alvinegros em Santa Cruz foi ruim para ambos. (Foto: Rodrigo Figueiró / CAC)

O dia do trabalhador foi de muito trabalho no Rio Grande do Sul. Para os atletas, árbitros, radialistas e plantonistas esportivos. Foram 14 jogos envolvendo equipes gaúchas. Oito deles foram pela penúltima rodada da Segundona. Alguns classificados já estão definidos. A definição das últimas vagas na próxima fase e a incômoda última vaga na zona de rebaixamento ficaram para o domingo. Confira como foi a rodada:

UNIÃO RESPIRA BATENDO NO PEIXE
O Leão da Colina foi até Rio Pardo enfrentar a Associação Riopardense, time de pior campanha na Segundona. Ficou claro desde o início que seria um jogo de ataque contra defesa. O União colecionou chances perdidas na primeira etapa. O primeiro gol só saiu aos 33 minutos, quando Rogerião bateu cruzado e abriu o placar. No segundo tempo a coisa preteou de vez pro pessoal do Amaro Cassep. Logo aos oito minutos Ronaldinho Gramadense ampliou a vantagem do time de Frederico Westphalen. Lucas Viana ainda fez o terceiro do Leão, que venceu por 3 a 0, está classificado e segue na luta contra o rebaixamento. Na última rodada, em Frederico Westphalen, o União recebe o Canoas. A Riopardense, já rebaixada – e com a pior campanha -, vai a Santa Cruz do Sul cumprir tabela contra o Avenida.

CLÉBERSON GARANTE A VITÓRIA DO RIOGRANDENSE
O Glória recebeu o Riograndense em Vacaria. Só a vitória interessava às duas equipes, que começaram a rodada empatadas com sete pontos e são rivais diretos na briga por uma vaga nas quartas de final. A peleia começou bem movimentada. Logo aos 11 minutos, Cléberson fez 1 a 0 para os Ferroviários. O empate do Leão veio ainda no primeiro tempo com Guto, em cobrança de pênalti. Na segunda etapa o jogo ficou mais aberto com boas chances para as duas equipes. O time da casa quase virou o jogo com Alê Menezes, que cabeceou na trave. No finalzinho do jogo o Gandense marcou o gol da vitória. Giovani cruzou e Cléberson marcou o seu segundo gol na partida e também o segundo do Periquito, 2 a 1. Com a derrota o Leão da Serra estacionou nos sete pontos e ficou em situação delicada na tabela. Na próxima rodada enfrenta o Brasil de Farroupilha. O Riograndense entrou de vez na briga pela classificação e na última rodada recebe o Ypiranga

DIEGÃO PROMETE, DIEGÃO CUMPRE
Insano, frenético, enlouquecedor, destrambelhado, maluco. Enfim, defina como quiser. Mas o jogo entre Marau e Brasil de Farroupilha foi daqueles de deixar narrador rouco. Precisando vencer para manter chances de classificação, o time da casa perdeu graças às suas falhas e a atuações espetaculares de Alex Goiano e, principalmente, Diegão. O primeiro foi o responsável pelos dois gols que abriram o placar, aos 19 e aos 40 do primeiro tempo. Depois do intervalo, o Marau descontou logo aos 6 minutos com Lano. Só que no minuto seguinte, Anderson Ijuí fez o terceiro do Brasil em falha do goleiro William. Aos 20, nova esperança aos marauenses com o gol de Da Silva. Porém, novamente um balde de água fria no lance seguinte: Diegão, de pênalti, fez o quarto e saiu gritando: “Vou fazer mais um!”. Aí Bahia acusou o golpe e resolveu correr atrás do empate, marcando aos 26 e aos 29. Mas Diegão promete, Diegão cumpre. Aos 42, para não dar mais chance de reação e garantir a vaga no mata-mata, ele recebeu sozinho e tocou por cobertura na saída do goleirão. Marau, desclassificado, 4. Brasil de Farroupilha, garantido na próxima fase, 5.

AVENIDA ENTRA NA BRIGA PELA CLASSIFICAÇÃO
Em Santa Maria se enfrentaram Inter-SM e o Avenida. Os “Diabos Rubros” buscavam a vitória para encaminhar a vaga para a próxima fase, já ao Nida só interessavam os três pontos para encostar de vez no G-4. O jogo começou muito disputado, com poucas chances de gol. A melhor oportunidade aconteceu aos 12 minutos com Roger Bastos, que chutou de primeira e o zagueiro do Avenida salvou em cima da linha. No segundo tempo o Inter-SM criou boas oportunidades, mas o goleiro Vanderlei estava em tarde inspirada e manteve o placar zerado na Baixada. O velho ditado de “quem não faz, leva” prevaleceu mais uma vez e o atacante Dinei – de cabeça – abriu o placar para o alviverde. Após o tento sofrido o time da casa foi pra cima, mas os visitantes se defenderam bem e conseguiram sair do Presidente Vargas com a vitória. Com a derrota o Alvirrubro perdeu a liderança do Grupo A e no fim de semana visita o Panambi. Já o Avenida recebe a Riopardense.

ÍNDIO QUER APITO, CLASSIFICAÇÃO E TRÊS PONTOS
O Tupi não quis saber de dar chance ao azar e já começou em cima do Panambi no Estádio Municipal Rubro-Negro. O primeiro gol do time da casa foi de Valdemar. O Panambi melhorou e buscou o empate, mas não conseguiu na primeira etapa. No segundo tempo o uruguaio Cristian Fabian deixou tudo igual no placar. Mas não deu tempo de comemorar, nem de fazer festa no Twitter do clube. Um minuto mais tarde Robert recolocou o rubro-negro na frente, 2 a 1. A esperança do empate ficava cada vez mais distante. E o tiro de misericórdia veio aos 38 minutos. Robert – mais uma vez – fez 3 a 1 e decretou a vitória do Índio Guerreiro. Na última rodada o time de Crissiumal vai às Missões enfrentar o Santo Ângelo. O time da Cidade das Máquinas recebe o Inter de Santa Maria.

A MALDIÇÃO MOMENTÂNEA DE CAMPO BOM
Não foi o fim de semana dos clubes mandantes no Sady Schmidt. Se na terça-feira o 15 de Novembro perdeu para o Palmeirense pela Terceirona, hoje foi a vez do Canoas se enrolar nos pés diante do Santo Ângelo. O time das Missões abriu o placar com o artilheiro musical John Lennon. O tricolor missioneiro voltou para o segundo tempo embalado ao som dos Beatles e perdeu a concentração. O Canoas, que não é mais bobo, aproveitou pra deixar tudo igual com Paulo. Mas Josimar deu um jeito de consertar as coisas e garantiu a vitória e a classificação do Santo Ângelo na casa do adversário, 2 a 1. Na última rodada os missioneiros recebem o Tupi de Crissiumal. O Canoas, sem pretensões, vai à Frederico Westphalen enfrentar o União.

O COLOSSO DA CAUTELA
Em uma tarde chata, na qual o maior destaque foi uma declaração pós-jogo, Ypiranga e Nova Prata não saíram do zero no Colosso da Lagoa. Um 0 a 0 doído de ver, ouvir e jogar. Ao fim da partida, questionado sobre a insatisfação dos torcedores, Juninho Tardelli, da equipe de Erechim, definiu o confronto: “Também, né! Foi uma M%&#!”. Os canários, que já conseguiram o acesso, lidera o grupo. Na última rodada vai à Santa Maria medir forças com o Riograndense em um duelo aviário. O Nova Prata recebe na Serra o Santa Cruz e precisa vencer para se garantir no G-4 sem depender de outros resultados.

EMPATE RUIM PROS DOIS LADOS
O Santa Cruz precisava vencer o Cerãmica nos Plátanos para afastar de vez o risco do rebaixamento para a terceira divisão estadual. Depois do descenso em 2013, uma nova queda seria algo desastroso para o alvinegro. O Cerâmica queria pontuar para entrar de vez no G-4. O que de fato aconteceu foi que ambos pontuaram, mas nenhum saiu satisfeito. O Galo saiu na frente com gol de Luiz Henrique, aos 20 minutos da etapa complementar. Quando parecia que a vitória era certa, Franciel deixou tudo igual aos 44. O Santa Cruz chega à última rodada ainda correndo risco de ser rebaixado, mas depende só de si para fugir da situação incômoda. O alvinegro vai à Serra enfrentar o Nova Prata. O Cerâmica ocupa a 5ª colocação do grupo e na última rodada vai buscar uma vitória contra o já eliminado Marau, no Vieirão, em Gravataí.

 

Gostou? Então compartilha, tchê!
Deixa teu comentário