27 ABR 2014 Sete jogos e um massacre Vinicius Peraça
ceramica 1 x 1 riograndense (rodrigo figueiro)

Riograndense e Cerâmica fizeram uma das raras partidas com poucos gols na rodada.
(Foto: Rodrigo Figueiró/Cerâmica AC)

A quinta rodada do returno da Segundona teve sete jogos na tarde deste domingo, com uma média até estranha para o campeonato mais pegado do Rio Grande: 3,57 gols por jogo. E grande parte da culpa por essa abundância de bolas na rede é o Inter-SM, que estrebuchou o coitado do Riopardense. Outro jogo cheio de gols foi entre Nova Prata e Brasil-Fa, mas nesse a coisa foi parelha. Dá uma olhada em como foram os jogos e confere aqui a classificação.

CAI O ÚLTIMO INVICTO DA SEGUNDONA
O Tupi era, até o início dessa partida em Frederico Westphalen, o único invicto na Segundona. O União-FW precisava da vitória para encostar na liderança do Grupo A. Ronaldinho e Paulinho Macaíba foram os grandes nomes da partida. Jogaram pra frente, levaram ao gol do Tupi as maiores chances do jogo. Em um primeiro tempo bem disputado, o placar ficou mesmo no 0 a 0. Mas a etapa complementar reservava muita emoção. O União Frederiquense continuou buscando o gol e a vitória mais do que tudo. Até que aos 44 minutos Jésum fez o gol salvador que garantiu o 1 a 0 para o União.

CANOAS JOGOU COMO NUNCA, PERDEU COMO SEMPRE
Num campo onde os arqueiros podiam se enfrentar no bom e velho gol-a-gol, o Panambi foi quem abriu o placar aos 20 minutos da etapa complementar com Cristian Fabian. E a vantagem no placar durou um pouco mais que uma preparação de um miojo. Júlio igualou o marcador aos 24 minutos para o desespero do ativo Twitter da equipe alviverde e narradores das rádios locais. O visitante voltou a ficar na frente num rebuliço que após alguns minutos foi desvendado: gol contra. A vitória foi decretada aos 48 minutos quando o camisa nove do Panambi balançou o barbante. Gavião fez o terceiro gol e carimbou os três pontos que mantém o clube na luta pela vaga para próxima fase e praticamente termina com a possibilidade de queda para Terceirona.

INTER-SM MASSACRA O REBAIXADO RIOPARDENSE
O Estádio Amaro Cassep foi palco da peleia entre Riopardense e Inter-SM. O jogo pouco valia para o time da casa que já estava rebaixado, enquanto o alvirrubro buscava a vitória para seguir brigando pela classificação. Depois de 25 minutos de atraso por falta de um médico no Estádio a bola rolou e só deu Inter. Logo aos três minutos Marco Antônio abriu o placar. Aos 26, Marco Antônio fez 2 a 0. Fábio Alemão de cabeça fez o terceiro aos 36. No segundo tempo o time visitante não tirou o pé do acelerador e aos 15 minutos Marco Antônio fez o seu terceiro gol no jogo. Dois minutos depois Roger Bastos fez o quinto e no último lance da partida Athan fez o sexto, colocando números finais no massacre em Rio Pardo. Com mais uma derrota o Peixe segue sem pontos na competição, enquanto o Inter-SM foi para 10 pontos.

EMPATE EMOCIONANTE EM NOVA PRATA
O primeiro gol da partida foi marcado logo no minuto inicial quando Alagoano aproveitou a reposição do arqueiro e com otimismo mandou a peronha para o barbante. O empate chegou aos 13 minutos com Anderson Ijuí. Porém, o time da casa não se fresqueou com o empate. Douglas Silva recolocou a Associação Nova Prata na frente do placar aos 15 minutos. Alguma coisa aconteceu no intervalo e o Brasil de Farroupilha voltou com alterações táticas e reagiu no confronto. O empate do visitante chegou aos 20 minutos com gol de Jean Carlo e virada aos 26, quando o capitão Maurício cabeceou a peronha para o fundo da rede. Uma virada heróica, mas que não aconteceu. Alagoano apareceu novamente e em cobrança de pênalti igualou o placar em 3 a 3.

O 9 E O 10 DECIDEM PARA O GLÓRIA
O Glória entrou de vez no bolor dos times que buscam classificação para o mata-mata do segundo turno da Segundona. E fez isso contando com participações decisivas dos homens das camisas 9 e 10 e uma atuação de luxo de Germano. Aos seis minutos foi ele quem foi ao fundo e mandou bola perfeita para Guto abrir o placar com seu oitavo gol no campeonato. No segundo tempo, em nova jogada de Germano, o camisa 9 Alê Menezes ampliou. E administrando a partida e a vantagem diante de um Marau sem inspiração, time de Vacaria deixou para fechar a conta aos 40. De novo ele, Alê Menezes fez 3 a 0 após contra-ataque e cruzamento de Cristian para o meio da área. O Glória chegou a sete pontos e só não está na zona de classificação por conta do saldo de gols.

CANARINHO VENCE O GALO NOS PLÁTANOS
O Santa Cruz recebeu o já promovido Ypiranga nos Plátanos. O torcedor que compareceu na cancha do Galo esperava um bom jogo, mas a peleia não agradou no primeiro tempo, com poucos lances de perigo. O Carijó só ameaçou em chutes de longe, já o Canarinho apenas se defendeu. No segundo tempo o jogo melhorou, mas os gols só aconteceram no final. Guto, aos 32 minutos, abriu o placar para os visitantes. Dois minutos depois. Éder Machado deixou tudo igual. Aos 40 minutos, Flávio voltou a colocar o Canarinho na frente. No último lance do jogo, pênalti para o Galo. “El Loco” Éder Machado chutou para fora. Com a vitória por 2 a 1 o Ypiranga foi para 10 pontos.

A TRAVE TRAVOU O RIOGRANDENSE
O Riograndense recebeu nos Eucaliptos o time do Cerâmica buscando vencer a terceira partida consecutiva para embalar e, assim, chegar na liderança do Grupo B. Já o Cerâmica foi para o jogo querendo arrancar pontos fora de casa e também chegar no topo do grupo. Objetivos iguais, mas quem saiu na frente do placar foi o Cerâmica. Depois de um primeiro tempo sem gols, onde o momento de maior perigo foi do Riograndense em uma cobrança de falta na trave, aos 31 minutos da segunda etapa Danilo colocou os visitantes na frente do placar. Só que não deu nem tempo de comemorar e Jajá, dois minutos depois, deu número finais à partida: Riograndense 1 x 1 Cerâmica.

Gostou? Então compartilha, tchê!
Deixa teu comentário